Arte educação

"Espero que este blog contribua para a elaboração de trabalhos com arte, sejam bem vindos"

quinta-feira, 3 de março de 2011

Terra Vermelha - trailer

video

Apesar de suas tradições serem muitas vezes atropeladas pela civilização, os índios Guarani-Kaiowás, do Mato Grosso do Sul, ainda tentam manter algumas delas, seja pelo respeito aos seus antepassados, ou mesmo para simular uma vida selvagem para o "homem branco", que paga para ver o desconhecido. Confinados em reservas, esses índios não têm muito do que precisam para sobreviver, como amplas áreas para a caça e o contato com a terra onde estão enterrados estes ancestrais.

Quando os jovens Osvaldo e Irineu saem para tentar caçar algum animal, deparam-se com uma cena que está se tornando comum nas tribos, duas adolescentes que acabaram de cometer suicídio. A constante atração da cultura branca faz com que muitos jovens da aldeia se sintam vazios e decidam se matar, tomados por um espírito ruim que ronda a reserva. Cansado de ver sua tribo diminuir, o líder Nadio decide abandonar o local para ocupar a região originalmente deles.

Neste mesmo momento, Osvaldo começa a sua preparação para se tornar um xamã, já que ele tem em seus sonhos visões do futuro. Ao mesmo tempo em que os índios se mudam para os limites da fazenda de Moreira (Leonardo de Medeiros), o jovem aprende a conversar com Nhanderu, seu deus. Nadio quer entrar na terras, onde estão enterrados os corpos dos ancestrais, Moreira tenta usar a lei para impedir, Osvaldo precisa se concentrar para virar um xamã e Maria, filha do fazendeiro, tenta uma maneira de desviar as atenções do jovem profeta, para atrai-lo. A cada momento, o conflito entre brancos e índios parece mais iminente.

Terra Vermelha é uma co-produção Brasil-Itália, escrita e dirigida por Marco Bechis, de Garage Olimpo. O cineasta italiano pensava num filme sobre uma tribo isolada, mas, durante as pesquisas, descobriu sobre os casos constantes de suicídio entre os Guarani-Kaiowás. Na busca por atores que pudessem interpretar com realidade esses papéis, ele teve a idéia de usar os próprios índios, que nunca haviam trabalhado com isso. O roteiro é do brasileiro Luiz Bolognesi, de Bicho de Sete Cabeças.


www.guiadasemana.com.br